sábado, 21 de abril de 2007

Enquanto esperava você

não acredito em culpa ou redenção,
pecado ou remissão.
o que me move é a incerteza e o caos,
onde pequenas e indiferentes ações
do acaso impessoal,
impressas no feixe de tudo e nada que somos nós
podem ser irreversíveis.
e isso tudo pode me fazer um tanto miserável ou radiante,
depende de quem me vê,
depende do dia,
depende do universo surdo aos nossos apelos...

3 comentários:

Anônimo disse...

AS SEM RAZÕES DO AMOR - Carlos Drummond de Andrade

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.

Amor é estado de graça
e com amor não se paga.
Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.

Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.
Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
nem se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

Anônimo disse...

este sou eu saskia. Você sabe quem, quem te espera para o resto da vida.

Alex Krusemark disse...

Olá Saskia, gostaria de lhe fazer um pedido: estou fazendo a divulgação horizontal do meu site na net e estou propondo aos amigos que têm blogs a troca de links. Já linkei seu blog ao meu e gostaria de saber se você poderia colocar um link do meu site (www.alexkrusemark.com.br) no seu blog. Agradeço imensamente.
Beijos. Alex Krusemark