quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

eclipse e ondas em slow às 3 da manhã ouvindo beirut

O eclipse, eu vi o eclipse e vi e ouvi coisas de além mar, músicas portuguesas e dos Bálcãs e pensei que só se vive uma vez e o resto é sobrevida e tentei inventar um motivo, um desejo de viver e continuar no planeta até a morte tantas vezes anunciada.
E o meu homem gostou do que escrevi e eu continuo sem saber muito bem porque, andando pelos planaltos e planícies do Brasil ando mesmo com ânsia de chegar ao Índico ancestral do outro lado da ancestral África... ouvindo o fado que me formatou portuguesa morena moura que veio dar às praias capixabas e sabe lá porque estou viva às três da manhã com uma caixa preta ouvindo beirut e tendo que responder a tanta coisa sendo que não sei resposta alguma sobre nada, nem sobre meu exílio voluntário em noite de eclipse...
E por que será que os eclipses sempre são em noites de lua cheia?
E por que as ondas são sempre em slow?
Ninguém responde, nem eu, é claro...

Um comentário:

Anônimo disse...

Estamos, estou...
Somos, sou...
Queremos, quero e sei que vc também quer...

Eclipse...solunar...
som...
dois olhos...
balcãs...
festas..bacon...
dionísio...
te ammo

assim mesmo...com dois mmms...

mais e muito
bjs